Principios para o trabalho autónomo dos alunos

Principios para o trabalho autónomo dos alunos

Caros colegas Professores:

O mundo vive uma pandemia sem precedentes nas nossas memórias, pelo que temos de nos ajustar também a limitações extraordinárias. A Escola vai cumprir a sua missão, respondendo assertivamente às necessidades da comunidade que serve.
As avaliações do 2º período devem ter por base os elementos avaliativos que os professores tinham à data da suspensão das atividades letivas, numa lógica de avaliação contínua.
Num momento de crise como este que atravessamos, é importante que os alunos continuem a ter uma ligação à escola, sobretudo no plano emocional. Devemos garantir o seu equilíbrio, estando disponíveis para lhes tirarmos dúvidas, fazermos aconselhamento, prestar apoio alimentar, apoiar as familias de profissões fundamentais e, sobretudo, contribuirmos para lhes reforçar a segurança e a confiança neste período que é difícil.
Também é importante mantê-los ativos com algumas tarefas pedagógicas, que não sendo uma substituição das aulas e muito menos do seu horário letivo, deve consistir em pequenos trabalhos ou atividades no âmbito das várias disciplinas, visando, principalmente, mantê-los ativos e estimular neles o prazer pelo conhecimento.
As limitações a este tipo de trabalho são várias, desde logo, as que são inerentes à condição de cada família. O número de computadores e acesso à internet pode ser limitado, o agregado familiar encontrar-se todo em casa com o desenvolvimento de teletrabalho, podendo por vezes um computador ser disputado pelos pais e filhos com necessidades laborais e de estudo. O medo e o stress que esta pandemia induz na dinâmica das famílias e em particular nos mais frágeis, deve ser tido em conta e atenuado na medida do possível.
Este deve ser um momento de união e não de agravamento das assimetrias sociais e familiares. Portanto, os professores devem propor aos alunos tarefas ligeiras que, no computo de todas as disciplinas semanais, nenhum aluno necessite de mais de 90 minutos diários dedicados ao trabalho autónomo e ao estudo.
Os professores enviam propostas de pequenas tarefas aos alunos, sempre com conhecimento aos respetivos diretores de turma, à coordenadora do 1° ciclo ou do ensino pré-escolar, conforme o caso. Estes aferem da dimensão total dos trabalhos propostos, podendo sugerir alguns ajustes, para que se cumpra o espírito supramencionado com que pretendemos manter os alunos ligados à escola.
Conforme já tinha dado como orientação, cada professor estará disponível uma hora por semana e por turma, dentro do seu horário, para atendimento de alunos.
Todo este trabalho se suspende durante as férias da Páscoa e será ou não retomado no início do terceiro período, de acordo com as circunstâncias que se vierem a verificar.
Apelo a um recolhimento generalizado daqueles que o possam fazer, limitanto os contactos presenciais de todos ao minimo indispensável. É fundamental para o nosso futuro coletivo, que se interrompam as cadeias de transmissão do vírus.
Enquanto diretor do Agrupamento de Escolas Pinheiro e Rosa, continuarei atento ao evoluir da situação e disponível para tudo aquilo em que possa ser útil.

Francisco Soares